TCE Piauí realiza campanha em prol da doação de órgãos

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI), por meio do programa SER TCE Solidário, lança nesta segunda-feira (4) uma nova campanha de conscientização no ambiente de trabalho, dessa vez, em prol da doação de órgãos. No último dia 27 foi celebrado nacionalmente o Dia Nacional do Doador de Órgãos e durante todo este mês de outubro o Tribunal reforçará essa importância entre seus servidores.

Mariza Costa, servidora aposentada do TCE Piauí, atuou na Diretoria de Fiscalização da Administração Municipal durante 15 anos, de 1988 a 2003, quando, por questões de saúde, teve que se afastar do trabalho. “Em 1994 eu descobri que tinha insuficiência renal crônica e, desde então, passei a tratar a doença. Foram longos anos de tratamento, até que chegasse a minha vez, depois de mais de 12 anos de espera por um transplante de rim. No dia 05 de abril de 2013 aconteceu o meu transplante e minha vida recomeçou”, disse Mariza, receptora de transplante renal e atual presidente da Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Piauí (APREPI).

No Brasil, para ser doador de órgãos e tecidos, não é necessário deixar nada por escrito: basta declarar à família que você é doador de órgãos. A doação, por sua vez, acontece após a autorização familiar documentada. A doação é advinda do doador vivo (a pessoa saudável que concorde com a doação de rim ou medula óssea e, ocasionalmente, com o transplante de parte do fígado ou do pulmão) e do doador falecido (paciente internado em UTI com morte encefálica, em geral, após traumatismo craniano ou derrame cerebral. A doação, nesse caso, acontece no centro cirúrgico. A retirada da córnea, por sua vez, por acontecer até 06 horas após a parada cardíaca).

No caso do doador falecido, há possibilidade de doação de rins, coração, pulmões, fígado, pâncreas e também de tecidos, como córneas e pele, além de ossos. Os órgãos são transplantados para os primeiros pacientes compatíveis que estão aguardando na lista única da central de transplantes da Secretaria de Saúde de cada Estado. Esse processo é justo e controlado pelo Sistema Nacional de Transplantes e supervisionado pelo Ministério Público.

“Para mim, doação de órgãos é um ato de amor que salva vidas. No meu caso, que passei por muitos anos de tratamento com hemodiálise, eu senti na pele o quanto isso é importante. Por isso, eu peço: converse com sua família, fale sobre o momento da morte, reforce que você deseja ser um doador. Agindo assim, você consegue salvar até nove vidas”, reforçou Mariza.

 

Depoimento, em vídeo, da presidente da APREPI, Mariza Costa

 

Segundos dados da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), 428 pessoas estão na fila de espera aguardando por um transplante de órgãos, sendo 277 pacientes à espera por uma córnea, 147 por um transplante de rim. A SESAPI fez um levantamento entre janeiro a agosto deste ano e informou que houve aumento nos transplantes no Piauí. Em 2020, foram realizados 106 transplantes de córnea, este ano 116 já foram concretizados. Quanto aos transplantes de rim, no ano passado foram realizados 15 procedimentos e neste ano chegaram a 22.

No Piauí, você pode obter mais informações a respeito por meio da Central de Transplantes, localizada na Rua 1º de Maio, Centro Sul, em Teresina, ou por meio do telefone (86) 3216-3553 ou 3216-7553.

 

TCE Piauí reforça apoio à APREPI

 

Para sua campanha de conscientização de doação de órgãos, o TCE Piauí conta com a parceria da APREPI, uma organização sem fins lucrativos, que tem o objetivo de prestar assistência aos pacientes renais em tratamento dialítico ou transplantado renal de todo o Estado, visando à qualidade de vida e a defesa dos direitos humanos.

Com atividades iniciadas em 2015, a APREPI tem sede própria, localizada na Rua Rui Barbosa, s/n, Centro Norte, em Teresina. O local, além de ser a sede administrativa, também é uma casa de acolhimento aos pacientes. Segundo a presidente, Mariza Costa, a sede precisa de doações e conta com o apoio de todos.

 

Depoimento, em vídeo, de Luiz Filho, paciente renal crônico e membro da diretoria da APREPI

 

“Estamos precisando de uma caixa d’água, de grades para as janelas da nossa sede, de aparelho de TV, de uma geladeira, de um fogão, de colchões, de um sofá e, principalmente, de cestas básicas. Muitos pacientes são acolhidos em nossa sede e precisamos oferecer melhor qualidade de vida a eles”, disse Mariza.

O TCE Piauí, por meio da Diretoria de Engenharia, disponibilizou a equipe do setor para averiguar as instalações da sede e prestar a assistência necessária. Para ajudar a APREPI, as doações podem ser feitas via transferência bancária (CAIXA, Agência 3828, Operação 003, Conta 914-2) ou via PIX: (86) 98875-6618.

Para mais informações, seguem os contatos: Mariza Costa (86) 99924-8768 / Luiz Filho (86) 98866-8227 / (86) 3223-7355.

 

Depoimento, em vídeo, de Gilson Cantuário, coordenador da OPO (Organização de Procura de Órgãos e Tecidos)