ECG recebe visita dos Vereadores Mirins de Porto PDF
Ter, 21 de Novembro de 2017 15:44

alt

A Escola de Gestão e Controle (EGC) do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) recebeu, na manhã desta terça-feira (21), a visita dos vereadores mirins da cidade de Porto. No encontro, os jovens puderam conversar com conselheiros e servidores do TCE-PI sobre a importância da contas públicas para os municípios.

O projeto é um decreto de lei que tem o objetivo de levar a sociedade o conhecimento do papel e importância do legislativo. A seleção dos representantes mirins foi feita com o sorteio de duas escolas públicas, nas quais 9 alunos foram selecionados sobre os critérios de boas notas, frequência e participação. Entres as atividades do projeto, os estudantes acompanham as sessões da Câmara Municipal de Porto.

O presidente da Câmara, João Elton Oliveira, foi quem instituiu o projeto na cidade e trouxe os alunos para conhecer Escola do TCE-PI. O vereador ressaltou que sempre participou das capacitações oferecidas pela EGC por achar relevante que gestores procurem orientações sobre a melhor forma de gestão. “Eu trouxe os estudantes ao Tribunal para eles aprenderem sobre as contas públicas e como o TCE pode ajudar para que o dinheiro público possa ser aplicado de forma correta”, contou.  

O coordenador executivo dos seminários da EGC, Francisco Mendes, disse que o projeto é uma bela iniciativa, já praticada em outros estados e pela Câmara dos Deputados. Além disso, o TCE-PI planeja uma ação no mesmo sentido. “O Tribunal está tentando implementar o Projeto de Controladores Mirins nos seminários para 2018, porque é importante passar pelos jovens na construção de uma sociedade mais justa”, revelou.

Dentro os vereadores mirins, a estudante Tathiana Araújo, contou que sua experiência a proporcionou levar mais conhecimentos sobre o funcionamento da Câmara e outras instituições públicas para seus familiares e pessoas do bairro e escola. Além disso, Tathiana também salientou sobre sua representatividade como mulher na política. Vale ressaltar que o Tribunal de Justiça Eleitoral estabelece, no mínimo, 30% das candidaturas sejam de mulheres.

Iêgo Fretias, que também faz parte do projeto, disse que ficou entusiasmado com o que aprendeu durante a primeira vinda à Tribunal de Contas. “Eu aprendi sobre como aplicar uma lei orçamentário em uma determinada situação”, destacou. Durante a visita, os estudantes conheceram outras estruturas do TCE, foram ao Plenário, ao Ministério Público de Contas e à Presidência.

alt
 
alt